Gostou? Então espalha pra galera!

12 maio 2011

Como uma Fênix (final)


"A fênix ou fénix (em grego ϕοῖνιξ) é um pássaro da mitologia grega que, quando morria, entrava em auto-combustão e, passado algum tempo, renascia das próprias cinzas. Outra característica da fênix é sua força que a faz transportar em voo cargas muito pesadas, havendo lendas nas quais chega a carregar elefantes [Wikipédia]

Hoje, quase dois meses depois desse terrível acontecimento, descubro-me forte e capaz de superar mais uma situação adversa. A pior de todas elas até hoje. Confesso que não sei explicar muito bem como isso vem acontecendo. Mas talvez esse "poder de superação" que muitas pessoas notam em mim, seja um traço que vem sendo fortalecido através de todos esses anos devido a tudo o que já passei até hoje

Olho pra minha vida e me surpreendo por já ter passado por tanta coisa e ter superado [ou me adaptado a] todas elas. Lembro que no início desse ano, em uma conversa com Andinho, eu comentei sobre a impressão que EU tinha de que não iria viver muito tempo. Quando ele me indagou o por quê disso, eu disse que pensava assim porque tudo acontecia na minha vida muito cedo. Era (ou  é) como se eu tivesse pouco tempo pra viver... Juro a vocês que achei até que não chegaria aos 30 (quer dizer que eu ainda não cheguei, né? Falta um mês... rsrs..). 

Mas não pensem que eu sou pessimista ou que estou pensando isso só porque o que eu tinha previsto pra mim, de certa forma, aconteceu com Andinho, alguém que estava tão perto de mim. Não... Foi só uma impressão que tive [em algum momento] no início desse ano de 2011... Pra vocês terem uma ideia, a postagem do dia do meu aniversário já está pronta [e programada para ser publicada!] há vários meses. E eu tinha até avisado a Andinho que se acontecesse algo comigo daqui pra lá, ele não estranhasse quando a postagem "entrasse" sozinha aqui no blog, no dia do meu aniversário!

Hoje é ele que não mais verá a postagem... O que eu imaginei que iria acontecer comigo, aconteceu com ele... E essas coisas são difíceis de entender. Porém, mesmo sem entendê-las, temos que continuar nossas vidas... Até o dia em que ela for interrompida de forma definitiva, pela inevitável e certeira morte.

Daí que pensando nesse "continuar vivendo", decidi antecipar um pouco esse processo de adaptação. Não aguentando mais ficar em casa chorando e sobrecarrega por essa tristeza, resolvi retomar minha vida social nesse final de semana que passou. Foi a primeira vez que eu saí, depois de tudo isso que aconteceu... Uma amiga, que vai embora de Caicó, me chamou para sua despedida. Voltei a lugares que eu sempre frequentava com Andinho (restaurantes). Lógico que o primeiro impulso foi chorar... 

No entanto, consegui raciocinar na hora e decidi que não iria mais me deixar levar por essa tristeza. Não seria justo comigo. Acho que não mereço ser tão infeliz. E se não for eu mesma a buscar a minha própria felicidade, ninguém vai por mim. Até porque eu sou a única responsável por buscá-la. E definitivamente, felicidade não vende na feira. Temos que conquistá-la.

Por isso resolvi mudar minha postura em relação a dor que ainda não passou. Decidi que não deixarei que a mesma me impeça de viver um só dia que seja. E quando a tristeza parecer mais forte que eu, buscarei outros meios para me fortalecer, seja saindo para algum lugar para me distrair um pouco, seja buscando alternativas para esquecê-la, nem que seja por um pequeno momento que seja.

Vejam que estou falando de esquecer "a dor", e não Andinho. Esse não tem como esquecer...

Vi que apesar de tudo o que me aconteceu, a vida não parou para esperar que eu me recuperasse totalmente. Não, caríssimos... ela não parou. E a única alternativa que eu consigo enxergar agora, é aprender a conviver com isso. 

Sei que muita gente vai estranhar, falar, comentar, quando me encontrar em algum barzinho ou restaurante da cidade, conversando com meus amigos... Afinal, aqui em Caicó as pessoas "vivem a vida dos outros", e esquecem de suas próprias vidas (cidade pequena/de interior tem dessas coisas...). Mas nem isso vai me impedir de procurar o que for melhor pra mim. Acredito que Andinho não esperaria outra atitude da minha pessoa. E eu também não...

Já me sinto um pouco mais leve agora...


4 mil pitacos!:

Déborah Simões disse...

adorei teu blog, flor..
tudo muito bom por aqui.
bjok

Pensamentos soltos disse...

Você tem toda razão em dizer que a única responsavel por sua felicidade é você. E na questão do que as outras pessoas pensam ou falam ,só dê ouvidos a quem te ama. Outras opiniões, se não fundamentadas em quem convive e gosta de você, podem representar perigo. Tem gente que vive dando palpite na vida dos outros. O faz porque não é capaz de viver bem a sua própria vida.Tem gente que gosta de fazer a vida alheia a pauta principal de seus assuntos. Tem solução para todos os problemas da humanidade, menos para os seus. Cuidado com as acusações de quem não te conhece. Não se ocupe demais com as opiniões de pessoas estranhas. Só o conhecimento mútuo pode autorizar alguém a dizer alguma coisa a seu respeito e os demais ficam sem validades.

Beijo

Beth Amorim disse...

Obrigada, Déborah!


E Heyd sempre com palavras firmes! Obrigada!

Non Nattus Júnior disse...

Olá Beth! A fortaleza.
Tem certeza que a fênix é apenas uma ave mitológica ??? Não. Creio que a encontrei, em pleno semi árido do sertão nordestino,na cidade de Caicó. Se a fênix era algo simbolico tornou-se real na sua pessoa.
(... havendo lendas nas quais chega a carregar elefantes). Quantas da nossa espécie estaria triturado com este elefante(adversidades da vida)?? E vc carregou com as suas "asas fortes " chamado força interior.
Fico feliz pelo exemplo que tem dado a todos nós,como nos refugiar para enfrentar as mais duras tempestades da vida.

Não Seja Egoísta! Compartilhe!