Gostou? Então espalha pra galera!

05 maio 2011

44 dias…

OgAAALB_pX2eYVBhq4pMJEYnTNtAhgTmGPPKxiIif2aQaejj6arlE6D7ZuZitD2ymX_UsPvQgBHFRP5MkOrGTfhrUvkAm1T1UO2GMge7mccUaWAuYnS82Tgd6MVo E quando eu penso que as lágrimas já se esgotaram, uma nova [e grande] remessa delas caem dos meus olhos… Queria entender porque é assim… Do nada um pensamento me vem à mente, e instantaneamente começo a chorar. E momentos assim podem acontecer em qualquer lugar…Vendo TV, lendo um livro, vendo fotos de casais, abrindo minha caixa de e-mail e até na hora do banho.

São crises agudas de saudade… aquela dor bem fininha que vem esmagando o peito, tirando meu ar… As lembranças boas não são capazes de conter minha tristeza em dias assim. Nada me faz esquecê-lo por 1 hora que seja… Se fecho meus olhos por um segundo, lá me vem a imagem do meu Bb… Tento a todo custo direcionar meus pensamentos também para outras coisas… Mas são raras as vezes que consigo.

Os sonhos são constantes. Não há uma só vez que eu durma e não sonhe com ele… Alguns sonhos são bons, outros nem tanto… Porém, é como se nesses sonhos eu pudesse matar um pouquinho da saudade que sinto… Pudesse ficar perto dele novamente…

Hoje não tá sendo um dia bom. O tempo passa e a falta que sinto dele só faz aumentar. Escrevo pra aliviar, pra desabafar, pra me libertar dessas coisas que ficam martelando aqui na minha cabeça… Apesar de tentar ser forte, tenho meus momentos de recaída, de solidão acentuada… Fico pensando nos dias em que nos despedíamos pela manhã, e por um motivo ou outro, passávamos o dia inteiro sem nos falarmos (em dias normais, nos falávamos várias vezes por telefone, msn ou twitter)… Quando chegava a noite, parecia que tinha sido uma eternidade separados… Era uma saudade tão grande… e tão recíproca… E eu dizia: _Como pode Bb? Nos vimos hoje pela manhã e só porque não nos falamos durante o dia, já fica essa saudade desse tamanho? Então, ele respondia: _É porque, meu Bb, nós não podemos mais ficar separados… nunca mais.

E agora eu estou aqui… Há 44 dias enfrentando essa separação involuntária. E o pior é saber que nenhum de nós dois quis isso… São 44 dias sem vê-lo, sem tocá-lo, sem ouvir sua voz, sem receber seus carinhos, sem sentir o cheiro de sua pele (às vezes mato a saudade cheirando uma camisa que ele tinha usado 2 dias antes do acidente… o cheiro dele ainda está todinho nessa camisa…), sem sentir seus beijos me acordando todas as manhãs, sem receber todas as noites um "Boa Noite, meu Bb! Te amo bem muitão, viu?". São tantas coisinhas que aconteciam diariamente e tão frequentemente… Coisinhas que pareciam tão pequenas, mas que hoje deixaram um buraco enorme no meu dia… É muito difícil me acostumar com essa nova realidade. Muito difícil mesmo… Então, eu mergulho nesse pranto que parece sem fim…

Peço que vocês, leitores, me desculpem por compartilhar esses momentos tão tristes… Agradeço todas as visitas, mas não se sintam na obrigação de ler nada, de comentar nada… Só peço que compreendam minha necessidade de externar isso que sinto. É forte demais pra ficar tudo guardado aqui dentro de mim. Não é sempre que tem uma pessoa disposta a me ouvir, por isso jogo tudo aqui no blog, que tem sido minha "válvula de escape" (Subst. Fem.: Dispositivo que, adaptado a um reservatório sob pressão, se abre automaticamente quando a pressão interior ultrapassa determinado limite).

Não é minha intenção ficar enchendo o saco das pessoas com minhas lamentações… Gostaria muito de poder colocar aqui coisas engraçadas, alegres… Mas infelizmente a alegria tá meio ausente de minha vida…  A "graça", então, nem se fala… Mas um dia sei que isso vai passar… Porém, todas as vezes que a tristeza me consumir de forma mais intensa, como hoje, terei que tirá-la um pouco de mim, escrevendo sobre isso aqui nesse meu velho, fiel e bom "divã virtual"…

assin

7 mil pitacos!:

Non Nattus Júnior disse...

Olá Fortaleza, Beth.
Vc não "tenta ser forte",tu és forte. A força de alguém,não está na ausência de recaída ou passar pela solidão acentuada. A força é revelada a partir do momento que a pessoa tem consciência do seu estado circunstâncial e luta para superá-lo.
E muito menos vc esteja o enchendo o saco de alguém. Pelo contrário,nós que queremos mostrar a vc não uma piedade hipócrita,mas uma verdadeira solidariedade. Se escrever faz vc se sentir melhor,pode escrever a vontade.

Pensamentos soltos disse...

Beth, você é daquelas que escreve muito sobre o que pensa e muitas vezes o que sente. Acho que escrever é uma forma de desabafar.
E você "pode" fazer isso no seu divã virtual porque sempre terá seguidores para ler seus textos e compartilhar com você.

Beijo.

Anônimo disse...

Beth...
Não te conheço, mais conhecia Andinho, pois minha casa fica na rua da casa da mãe dele... Sempre leio seu blog e acho interessante o qee vc escreve e a sua maneira de se expressar, pois me identifico muito com sentimentos postados por vc, Não por ter perdido alguém tão importante e proximo a mim, mais por sentiomentos qee me sufocam e tenho medo de expresá-los pois naum sou tão boa com as palavras...
Só qero dizer qee acredito e admiro um amor como o de vcs....
Um beijo e muita Paz pra vc.

ROSIVAN AMARAL disse...

Olá beth ..

toda vida que vejo vc publicando esses textos fico triste .. penso até em te falar algo, mais eu não consigo, por que só vc sabe o que ta sentindo.

eu posso imaginar mas não sinto..

por isso me peguei agora triste e sem poder dizer algo que possa te fortalecer mais ainda.

pois sei que vc é uma mulher forte..

um abraço...

Beth Amorim disse...

Obrigada mais uma vez, meus amigos... Pela força, pela atenção, pelo carinho... Tem dia que acordo assim, meio pra baixo mesmo... Há outros em que estou bem, na medida em que posso ficar... Mas é assim mesmo. Altos e baixos.

Mas posso dizer que sou uma pessoa de sorte, pois tenho amigos que estão comigo mesmo nos momentos não muito bons (até mesmo aqueles que nem me conhecem pessoalmente).

Agradeço a vocês de coração...

Ana Cecília disse...

Beth, sofro junto com você lendo o que escreve aqui no blog. No dia do acidente, quando minha mãe chegou em casa e me falou o que tinha acontecido com Anderson, não acreditei, mesmo depois de tanto tempo sem te ver e sem falar com você, desde que deixou de ser minha professora, a minha vontade era de te dar um longo abraço, forte e bem apertado. Mas como não seria possível, fui no seu orkut pra deixar algum recado, mas , simplesmente não soube o que falar. Eu sempre visitava o seu blog, mas a partir daí, isso se tornou tipo uma 'obrigação', não consegui ficar um dia mais sem vir aqui. E nessas visitas diárias, chorei inúmeras vezes. Não foram poucas as vezes que pensei em deixar um comentário, mas como já disse, não tinha a mínima ideia do que falar, pois sei que a dor que você está sentindo nesse momento é infinita e nada que eu fale vai te dar conforto, mas, eu quero que você saiba que eu tô aqui, torcendo por você, te desejo muita força e coragem nesse momento tão difícil da sua vida.

Te adoro Beth ♥

Beth Amorim disse...

Oww, Aninha, minha linda!

Obrigada pelo carinho.

Você sabe que eu também nunca irei esquecer de você, minha aluna exemplar!

Agradeço as visitas constantes aqui no blog... Nem sabia que vc "frequentava" tanto esse espaço!

Mais uma vez obrigada pela preocupação... E saiba que eu também te adoro, viu?!

E ó... eu vou conseguir superar essa dor sim. Pode levar tempo, mas um dia eu vou conseguir...

Beijos!

Não Seja Egoísta! Compartilhe!