Gostou? Então espalha pra galera!

18 maio 2011

Com a palavra, a Profª Amanda Gurgel...


Aqui no RN, os professores estaduais decretaram greve desde o dia 29 de abril. Muita gente se pergunta por que todos os anos os professores fazem isso, ou seja, "deixam os alunos sem aula" durante vários dias, e às vezes, durante vários meses, por causa de um movimento que, na maioria das vezes, não resolve nada. Muitos também "abrem suas bocas" e dizem que os professores que aderem, e que são favoráveis à greve, não passam de "vagabundos". 

Bom, vi esse vídeo hoje, e fiquei muito emocionada [e também orgulhosa]. A professora Amanda Gurgel, em plena Assembleia Legislativa do RN, diante dos deputados e também da Secretária de Educação, conseguiu falar por toda a classe de trabalhadores da educação, em especial aqueles que integram o setor público. Classe essa que vem sendo, dia após dia, ano após ano, desprestigiada e humilhada pelos governos. 

Amanda, tomada de uma propriedade incontestável, "esfregou no chão" a cara dos deputados e da secretária de educação. Em um breve discurso, ela conseguiu sintetizar muito bem a situação em que se encontra a educação do RN [e do Brasil, de uma forma geral]. 

Eu estou há 6 anos atuando na área da educação. Desses, apenas 1, atuando no serviço público. No entanto, posso dizer a vocês que esse único ano, já foi suficiente pra enxergar o sucateamento da educação pública no Brasil. Amanda traduziu [muito bem] em palavras  o que nós, trabalhadores da educação, passamos, para sobreviver com o salário que nos é pago, e também para exercer nosso ofício em escolas "capengas", desestruturadas e envoltas em um verdadeiro caos. [Lógico que dentro desse quadro também há exceções. Raríssimas exceções, diga-se de passagem.] 

Porém, há quem diga assim: "_Mas quando você fez concurso pra ser professora, você já sabia que iria ganhar pouco! Então, pra que fez? Por que não seguiu outra carreira?" Pra essa pergunta, eu tenho a seguinte resposta: O problema não é só o "quanto se ganha". O problema vai muito além de "um salário", ou seja, ele reside principalmente no fato de não ser dada à educação, a devida importância que ela tem para o desenvolvimento do país.  

Eu já sabia sim o quanto eu iria ganhar. Assim como eu também sabia que seria integrante de uma das classes trabalhistas mais desvalorizadas do país. No entanto, isso não quer dizer que eu tenha que aceitar essa condição até o fim da minha carreira. E assim como Amanda disse, eu não posso [e nem devo] assumir sozinha com a minha classe, a missão de salvar esse país "apenas com um quadro e um giz na mão". É algo que não compete somente nós professores.   

Imaginem aí se chegasse um dia em que ninguém quisesse mais ser professor? Imaginem se todos fugissem dessa responsabilidade?! E eu digo a vocês... do jeito que as coisas estão, esse dia não vai demorar pra chegar não, viu?!

Então, amigos, peço que vejam o vídeo. Peço que vocês se sensibilizem com a situação da educação brasileira. E por último, peço que entendam: a greve não é só uma questão de dinheiro. Lutamos por algo muito mais valioso: uma educação de qualidade para todos, sem distinção. E também pela valorização desse setor tão básico [e tão essencial], tanto para o presente, quanto para o futuro de qualquer país.






Atualização: Hoje, 19 de maio de 2011, a professora Amanda Gurgel concedeu uma entrevista ao noticiário RNTV - 1ª edição, na InterTv Cabugi, que é afiliada à Rede Globo de Televisão. Nessa entrevista, Amanda, que virou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais de ontem para hoje, falou sobre a repercursão de suas palavras na Assembleia Legislativa. Quem desejar assistir ao vídeo da entrevista, o mesmo já encontra-se disponível no You Tube. É só clicar aqui.




4 mil pitacos!:

Non Nattus Júnior disse...

Olá amicíssima virtual Beth ,A fortaleza.
Sem dúvida esta jovem senhora,com sua trepidez deve ter deixado vcs como classe cheio de orgulho. Voz dela foi a verdade que cada professor queria dizer na frente das autoridades competentes, a muito tempo.
E obrigado por nos ter privilegiado com este vídeo. Vc e outros ,claro, pautaram um assunto,que só depois a mídia tradicional repercutiu. Seguir vc é está a frente da midia tradicional.oba!

E Este é o centésimo acesso(UAU) ao seu blog. Na primeira vez imaginava que estava acessando um blog.Com o tempo descobri que estava recebendo uma lição de vida.
Caminhando para o acesso 500.
Um abraço virtual.

Amanda disse...

Olá profissifional do magistério... percebeu que bricam com nossa inteligência? A secretária Betânia,mesmo depois da repercursão do vídeo da professora Amanda, em entrevista ao G1.com, ainda insistiu em falar do piso de R$ 890... a 'idiota' em momento algum leva em consideração o plano de cargos e carreira que dá 40% aos graduados...
É amiga, vá ficar feliz pq fez 42 questões naquela 'bendita'prova de novembro de 2005...

Beth Amorim disse...

Oi Nonatto! Parabéns por ter tido tanta paciência para ler minhas coisas!! rsrssrs... Mas, se gostas, que fiques! E por muito mais tempo! Sou sempre grata pelo carinho!


Mandoca!! Podes crer, viu amiga!! Essa secretária tá mais perdida do que minhas chaves dentro da bolsa! Affyyy... ela já já pede arrego!

Por outro lado, sua "xará" deu show! Tinha que ser uma Amanda!!!


Beijos, amigos!

Anônimo disse...

pena que ela esta só e logo cairá no esquecimento nesse país de covardes!

fernando

Não Seja Egoísta! Compartilhe!