Gostou? Então espalha pra galera!

09 abril 2011

Mais um desabafo... Mas por favor, não me atirem pedras...



Desde o dia 22 de março de 2011 eu ouço as pessoas chegarem pra mim dizendo coisas do tipo: 

_ Olha, eu sei que o que aconteceu com Andinho foi horrível... Ele era um rapaz ótimo, todos gostavam dele... Não merecia morrer assim de forma tão trágica. Mas saiba que "Deus sabe o que faz"... "Nada acontece sem o consentimento de Deus"... "Deus vai te dar conforto nesse momento"... "Foi a vontade de Deus"... Era a hora dele, "porque Deus quis assim".... "Vocês ainda vão se encontrar, pode ter certeza..."

Eu entendo a fé das pessoas, entendo que elas não dizem isso por mal e que só estão querendo me ajudar. Por isso, não recrimino, nem digo desaforos a quem me diz isso. Até agora só escutei... E chego até a agradecer todas as palavras de conforto que as pessoas estão me dando, por mais que coloquem Deus ou o espiritismo no meio. Como eu já disse aqui inúmeras vezes, os amigos [e os comentários que as pessoas estão deixando aqui no blog], têm me ajudado muito a superar essa trauma. Sinto-me abraçada e acolhida...

No entanto, preciso confessar uma coisa a vocês. Pode até parecer arrogância ou grosseria, mas não é. É apenas sinceridade... Queria que vocês soubessem que sempre que leio ou escuto alguma coisa, eu "passo um filtro" e retiro apenas aquela parte que realmente sei que vai me ajudar.

Talvez alguém até se choque ou fique chateado com o isso, mas quando alguém me fala em Deus nesse momento, e diz que "só Ele" pode me dar conforto, é a mesma coisa de me mandar ligar a TV pra assistir o Faustão pra poder superar a dor que sinto; isto é, não faz efeito nenhum.

Eu não creio na existência de deuses. Muitos sabem disso... Mas, só pra deixar claro mais uma vez, o meu ateísmo é fruto de reflexões pessoais. Não recebi infuência de ninguém. Nada aconteceu para que eu me revoltasse contra Deus. Apenas cheguei à conclusão de que sua existência como as pessoas pregam, seria inviável.

Mas isso não quer dizer que você tenha que pensar igual a mim. Nem entender porque eu penso assim. Como eu disse, a conclusão é minha. E a única coisa que exijo das pessoas é respeito. Respeito pelo que digo, respeito pela minha forma de pensar... Até porque é assim que eu ajo diante das diferenças... E espero a mesma postura das outras pessoas.

Por isso não me atirem pedras. Não fiquem magoados com o que estou dizendo. Fiquei muito triste quando eu vi os comentários maldosos que deixaram no blog de Andinho, só porque ele publicava textos de ateus. O pior, deixaram em um texto que nem escrito por ele foi. Cristãos que batiam no peito pra dizer que tinham "Deus no coração", desejando que ele tivesse "uma boa estadia no inferno", ou dizendo que o que aconteceu com ele tinha sido "castigo", porque ele "brincava com Deus". Diziam isso como se morrer em acidente fosse coisa exclusiva de ateus.

Lógico que pra mim essas afirmações são irrelevantes, já que não acredito em céu ou inferno. O que me incomodou foi a falta de respeito perante a dor da família, assim como também o fato de falarem de alguém que não poderia mais se pronunciar. Por que não colocaram esses comentários enquanto ele estava vivo? Já vi que quando eu morrer, vão fazer coisa pior, afinal, eu falo muito mais sobre meu ateísmo aqui, do que ele falava sobre o dele por lá.

Saibam que por mais estranho que possa parecer, eu aprendi a conviver sem essa crença em "Deus". Mas não se assustem, pois tenho uma vida completamente normal. Eu não sou uma "aberração". Não faço maldades, e muito menos desejo mal ao próximo, como muita gente com "Deus no coração faz" (ver o caso do assassino da escola de Realego, no RJ). E mais, posso garantir que ser ateia não me tornou uma pessoa pior, nem melhor. Continuo a mesma. Porém, com outra forma de pensar...

Mas se vocês querem saber de mais uma coisa, tenho pra mim que se eu seguisse alguma religião e acreditasse em "algum deus" naquele 22 de março, com certeza eu teria abandonado todas as crenças quando a primeira pessoa me dissesse que aquilo que aconteceu com Andinho tinha sido "a vontade de Deus". Isso nunca iria entrar na minha cabeça, e ao invés de confortar, iria me revoltar. Eu teria me tornado ateia ali, naquele dia.

Isso que me dizem sobre "ser a vontade de Deus" só me faz pensar que esse Deus que as pessoas falam, é aquele tipo que "morde e depois assopra". Ou seja, ele "tira algo que você ama" sem te dar uma boa explicação pra isso, mas depois ajuda te dando "conforto". Isso é muito contraditório.

Na minha humilde concepção, o que aconteceu com meu Bb foi uma horrível fatalidade. Ele estava no lugar errado, na hora errada. Acaso. Tipo uma bala perdida. Algo que poderia ter acontecido com qualquer pessoa que estivesse passando por aquela estrada, naquela hora, mas que infelizmente aconteceu com ele.

E eu digo uma coisa a vocês com toda a certeza que há dentro de mim: não ter crença em "deuses" está me ajudando muito nesse momento.  Ajudando no sentindo de entender mais facilmente tudo isso o que aconteceu. Não ter crença, está me ajudando também a encontrar a conformação muito mais rápido.

Vocês podem não entender o que eu tô dizendo, ou achar que eu estou ficando doida. Mas a realidade dos fatos me conforta muito mais do que as ilusões e esperanças trazidas com as crenças religiosas. A força que as pessoas dizem que vou encontrar em Deus [ou seja, externamente], estou encontrando aqui mesmo, dentro de mim. E diga-se de passagem, é uma força quem nem eu mesma sabia que possuia.

Não pensem que assim estou falando "mal de Deus". Então, não se ofendam. Até porque eu não posso dizer que estou 100% certa ao dizer que "Ele" não existe. Oh, quem sou eu... Só sei que no meu mundo particular [que sou eu mesma] eu não preciso dessas crenças pra conduzir meus dias. Também não tô afirmando que pensarei assim durante o resto da minha vida. Até porque o resto da minha vida pode ser algumas horas, ou vários anos... Quem vai saber? Muita coisa ainda pode mudar...

Por mais que a morte seja algo certo para todos nós, as circunstâncias em que ela ocorre é o que mais traumatiza. Por isso é tão difícil aceitá-la. E por isso também, eu até entendo as pessoas acreditarem que existe uma "vida após a morte". Pra mim, isso exprime o desejo de que a vida continue.

Eu, particularmente, nunca tive medo da minha própria morte. Não tenho medo de morrer, mas se tem uma coisa que me causa pavor, é a morte das pessoas que amo. E eu nunca tinha enfrentado a morte de alguém tão próximo como tive que enfrentar agora. Uma morte repentina e trágica, de alguém que ainda tinha muita coisa pra viver. 

E analisando tudo isso que me aconteceu, vejo que é comum nesses casos pensarmos de forma egoísta, ou seja, pensarmos somente em nós, na nossa dor, na ausência que nos fere, nas situações que não viveremos mais ao lado de quem se foi...

Porém, posso lhes garantir que meu pensamento diário também é outro: o que ele deixou de viver... os planos dele que foram interrompidos... as alegrias que ele não poderá mais desfrutar... os jogos do Flamengo que ele não vai mais assistir... os shows de Chiclete com Banana que ele nunca mais irá... E tantas outras coisas que ele gostava e que não poderá mais fazer, simplesmente porque não está mais vivo.

Penso em mim... na minha dor, afinal eu estou viva para senti-la. Mas também penso nele. E esse pensamento não me sai da cabeça: o quanto ele perdeu de viver por causa daquele acidente tão imprevisível. E como eu o conhecia por dentro e por fora, como ele mesmo disse aqui, sei exatamente o que ele sentiria se pudesse prever uma situação dessas...


"De repente, a gente vê que perdeu ou está perdendo alguma coisa morna e ingênua, 
que vai ficando no caminho que é escuro e frio,
mas também bonito, porque é iluminado pela beleza 
do que aconteceu há minutos atrás..."

(Poema- Cazuza)




10 mil pitacos!:

Clara Luíza disse...

Beth assim como você, eu penso que o que nos conforta mesmo é nossa propria força, nosso eu interior,acredito sim em Deus, mas nada depende dele e sim de nós mesmos. Se eu quero, eu posso e eu consigo, pode ter certeza que irei fazer valer tudo isso, acredito na força do pensamento! Te conheci assim, e te admiro muito por ser 'diferente' na boca de alguns e mais ainda não cristã por nao acreditar em 'Deus' você melhor do que qualquer pessoa que se diz dentro da Lei Divina é um exemplo de PESSOA, lembre você só foi ou será julgada por pessoas como você que se acham no poder de julgar alguem, isso tudo porque você teve a coragem de expressar o que pensa como poucos tem, e pior dizem ser cristãos e se tornam pessoas com um caracter que nem se deve falar. To com você, força e espero que o tempo te ajude nesse momento!

Louro Neves disse...

Oi, Beth!
É pela primeira vez que me manifesto depois desse triste acidente que culminou com a morte se seu amado. Mas não deixei de ler suas postagens; meu silêncio foi em resultado de não saber o que dizer, e, em vista disso, não ousei correr o risco de dizer algo que te viesse a magoar, logo agora, nessas horas tão penosas.
Mas, pelo visto, você foi maldosamente magoada. Lamento; como já comentei aqui outra vez, nem todos que falam em nome de Deus, têm dele essa autoriação. E é lógico. Ninguém autorizaria a alguém a falar mentiras em detrimento da própria honra. Pois quem declara que fulano ou beltrano morreu pela vontade de Deus, ou em decorrência de castigo divino,está na verdade propagando uma grande mentira. Em nenhum trecho da Bíblia se ler isso. As pessoas morrem sim, como você bem asseverou, em decorrência de imprevistos, "estar no lugar errado, na hora errada("O tempo e o imprevisto sobrevem a todos" - Eclesiastes 9: 11). E mesmo a morte natural, de quem quer que seja, não pode ser atribuída à vontade divina. A humanidade morre, um a um, mas é em resultado de um teste simples a que o primeiro casal humano foi submetido e lamentavelmente reprovado. Culpar a Deus por isso equivale a culpar aos jurados e ao carrasco pela morte de um réu, que foi legalmente julgado e condenado. Eu sei que você não acredita em Deus, e isso não me ofende. Não te atiro pedras, não tenho autorização para isso, como Jesus bem esclareceu("Parai de condenar, e de modo algum sereis condenados"-Lucas 6: 37).Uma coisa é certa, Beth: o Deus a quem adoro não é o carrasco, pronto a executar condenados. Ele é apenas um Juiz, um Pai, o Criador. E com tal, fica muito triste com aqueles que falam mentiras em Seu nome. E também não estar insensível às dores que você sente("Aquele que toca em vós,toca no globo do meu olho"-Zacarias 2: 8). Fique ciente disto: as dores que você sente, ele sente com a mesma intensidade. Atualmente, Deus está tomando providências para restabelecer a humanidade à perfeição original. Nessa época, todos os males que sofremos hoje deixarão de existir. É isso, minha amiga. Forças nessas horas difíceis!Que seja no seu ateísmo, se assim você achar melhor. Em todo o caso, fica aqui os meus sentimentos de dor e minha amorosa intenção de querer ajudá-la dessas horas tão difíceis.
Abraços!

Non Nattus Júnior disse...

Cada texto que leio, a minha admiração pela sua pessoa se torna maior.
Não tenho nenhuma dúvida,quando vc afirma que sua convicção de ateísmo,é fruto de suas convicções. O tamanho da sua personalidade é muito grande,para alguém ter moldado.
Relação aos comentários maldosos,também fiquei indignado,e tive vergonha de defender a mesma fé desses "imbecis", peço-lhe desculpa como evangélico,por aqueles que se expressaram de forma tão irada e desumana. Acima de tudo como vc afirma: Pela dor da familia e o fato dele não poder se defender. Vc mostra sabedoria quando afirma "como se morrer de acidente fosse coisas para ateus". Lucas 13, Jesus afirma que todos nós estamos sujeitos a imprevisibilidade que a vida pode nos trazer. Independente de nossa crença,basta apenas existirmos.
Bem ao contrário de ser uma "aberração",vc mostra uma pureza de coração ,tão rara nos dias de hoje. Gosto de afirmar que no dia que nós evangélicos,tivemos a conduta de vcs ateus,o evangelho será mais bem visto.
Esta tua força solitária totalmente interior, não tem como nos cativar profundamente.
Estas duas frases: " Não estou 100% certa que "ele" não existe" e a outra "... que pensarei assim o resto da minha vida". Revela uma extrema sinceridade, que só uma alma pura é capaz de se mostrar ,sem se sentir inferior ou sem rumo. Muito pelo contrário,como se fosse um passo para se reconstruir-se de sua dor e encontra-se consigo mesma.
Não posso medir a dimensão de sua dor,mas através dela aprendi a admirar a imensidão de sua pessoa.FORÇA!

Beth Amorim disse...

... Ainda bem que você me entenderam...

Tive que ter bastante coragem pra falar tudo isso aí que falei. Tentei ser o mais sincera possível, mesmo sabendo que a sinceridade às vezes machuca...

Mas eu não sei ser de outra forma. Sou assim e não gosto de fingimentos. Por isso, digo o que penso. Mesmo correndo o risco de ser mal interpretada...

Obrigada Clara, Louro Neves e Non Nattus pelas palavras e pela compreensão...

Nordestina Porreta disse...

Beth querida.
Nem me atrevo. Postar qualquer comentário!
Sabe da imensa Admiração, Respeito e Carinho que dedico a VOCÊ!
Só uma dúvida... "Eles" merecem alguma atenção? #Ignore
Para que lhe conhece; Faltam-lhes o "RESPEITO" aos semelhantes...(conforme deus ensina) aos Seus Seguidores! #MePoupe.
Bjs para Minha Fofolette de Caicó.

edson-china disse...

Minha cara Beth, tem que ter muita coragem pra expor um desabafo tão grande nesse momento de dor. Sei que perder alguém tão proximos a nós nunca é coisa boa. Eu nunca julguei-a pelas suas atitudes ou opiniões, pois sei que no momento que a gente faz isso estar dizendo que todos devem de uma certa maneira e acaba esquecendo que cada um de nós é uma "criatura" com medos, certezas e duvidas.Eu Toço por você,torço pra que você seja entendida, sem ser rotulada.O medo da perder é o maior fantasma do ser humano e poucos são aqueles que conseguem levantar, olhar pra frente e seguir andando. Sei como é perde alguém q se ama, afinal a gente não perde alguém, a gente acaba perdendo um pedaço de nós mesmos.Alguém q acreditavámos fantasiosamente que iria ficar pra sempre ao seu lado.Não gosto e muito nem sei dar conselhos, mas vou deixar uma frase que me falaram quando eu estava num momento de dor: A gente aprender a conviver com saudade pra não esqueçer da lembraça alguém que a gente ama!!

Jacknamar disse...

Eu sei exatamente o que você quer dizer Beth. Quando passei por uma perda devastadora há alguns anos atrás, confesso que me senti até como um hipócrita tendo de ouvir e calar (ou mesmo fingir que acreditava) no que as pessoas diziam ser a "vontade de Deus"...

Mas por incrível que pareça, creio ter sido justamente o meu ateísmo que me ajudou a lidar melhor com tudo o que passei. Vi que não existiu "um plano maior" no que se passou. Que não era da "vontade" de ninguém, ou como os espíritas dizem, algo que "deveria enfrentar para crescer espiritualmente". Eu não ganhei e nem melhorei nada com tudo aquilo. Sou o mesmo cara de sempre.

Apenas lido melhor com o sofrimento do que a maioria das pessoas porque como você, eu não preciso da crença cruel em "escrituras" e "vontades" alheias.

Abraço,

Jack.

Fada Dinarah disse...

Estava pensando como escreveria pra vc mais diante de tudo que já aconteceu na sua vida a única coisa que posso te dizer nesse momento é que vc deve ficar em paz consigo mesma...chore,chore o quanto for necessário tua dor será amenizada. pense que ele onde quer que esteja,está bem e não quer que vc sofra!! ele estará em seu pensamento e em seu coração. pode ter certeza que um dia vc vai lembrar do que escreví aqui pra vc e que vai me contar e eu ficarei feliz por vc e ele também agora concerteza.fique em harmonia com seus pensamentos e vibre sempre por ele lembre de tudo que foi bom!!!

Um grande abraço cheio de luz e muito carinho.
Eu respeito nesse momento sua dor!!

Francisca das chagas disse...

Oi Beth!!! Estou aqui para te dizer apenas algumas palavras, apesar de saber q nada q digam melhora a dor... já perdi alguem q era de suma importancia na minha vida pois, fui abandonada pelos meus pais biológicos e ela me acolheu, era minha família, tudo o q eu tinha e o q eu era pois meu passado e lembranças só ela conhecia, te aconselho a somente viver o seu luto, a sua dor e não ligar para o q as pessoas irão falar de e com vc sobre esse assunto, tenho peças de roupas da minha mãe q cheiro até hoje para superar a minha saudade, sou cristã evangélica) mas estou aqui somente para te desejar tudo de melhor em sua vida e te diser q com a minha crença estou orando por vc e q mesmo sem te conhecer te desejo o melhor pois o verdadeiro cristão não é aquele q tem somente Deus em seu coração e sim aquele q tem Deus com a sua plenitude q é amor e pode transmitir esse sentimento para com os outros pois não se é cristão antes de ser humano ou vice e versa!!!!! Um grande abraço e muita força!!!!!

gilberd disse...

Já são muitos dias que não acesso o seu blog, assim como eu nem tocava no meu. Creio que desde o final do ano passado. E agora, passando me deparei com esta notícia que me soou desagradável.
Não a conheço pessoalmente mas nos conhecemos pela rede. Vi e senti o seu caráter, sua intelectualidade. E, principalmente, vi o amor que você dedicava ao seu esposo. Era e sempre será algo tocante, digno de respeito. Hoje não sei o que dizer. Só sei que a força para enfrentar esse momento está dentro de você e nada mais. Aprendemos com a dor a curar as feridas e seguir em frente, siga em frente, como esta mulher corajosa, de fibra e personalidade que você é.
Abraços
Gilberd Soares

Não Seja Egoísta! Compartilhe!