Gostou? Então espalha pra galera!

04 outubro 2010

Um Ateu no Inferno

Quando soube que eu não acredito em Deus, uma aluna minha me disse o seguinte:

 _ Você não acredita em Deus, professora? Pois quando você morrer, vai ficar com os olhos abertos e ninguém vai conseguir fechá-los. Vai ficar tão dura, que ninguém vai conseguir colocar roupa em você... Ah, e também vai para o inferno "bem pretinha".

Claro que eu dei boas gargalhadas com tudo isso! E, como dizia Katharine Hepburn, "Não, eu não acredito em Deus e, depois de morrer, pretendo ter um longo e feliz descanso debaixo da terra".

Depois que essa minha aluna me disse isso, eu lembrei de um texto bem descontraído sobre esse assunto. Ele é meio contraditório, já que nenhum ateu acredita em céu, inferno, Satanás ou Deus.  Mas, mesmo assim é engraçado e vale a pena ler. Nem sei quem é o autor. Mas, láaaaa embaixo, digo onde foi que o encontrei...


Um ateu morre e vai para o céu. Chegando lá é recepcionado por São Pedro:
 
- Hummm… (lendo o livro da vida pregressa do ateu)… infelizmente meu filho, você não pode adentrar no reino celestial. Você, desde jovem, declarou-se ateu. Até mesmo no leito de morte, você ficou firme no seu ateísmo. Lugar de ateu é no Inferno.

Resignado, o ateu desce às profundezas abissais em procura da entrada do Inferno. Lá chegando tem um choque. A entrada do Inferno parece-se com aqueles grandes cassinos de Las Vegas. Logo na entrada, lindas mulheres recepcionam o ateu.

Extremamente surpreso o ateu adentra no Inferno e é recebido por um homem elegantemente vestido com um terno branco e uma flor no bolso do paletó.

- Seja Bem-Vindo, meu grande amigo! (diz efusivamente) Eu sou Satanás, seu anfitrião por toda a eternidade e qualquer coisa que você queira é só pedir diretamente para mim ou para aquelas lindas mulheres.

(abaixando a voz) A ruiva de vestido preto vai te levar à loucura.

A imagem do inferno era fabulosa: uma longa pradaria onde o comum era a relva baixa e flores. Ao fundo uma pequena sequência de montanhas.


Percebia-se um pequeno rio à esquerda, onde o ateu reconheceu Nietzsche e Voltaire, com varas de pescar em uma mão e um copo de vinho na outra. Riam alto! À direita, num restaurante com uma enorme varanda, o ateu discerniu somente numa mesa Thomas Paine, Robert Ingersoll e Thomas Jefferson, este último acenando e apontando para um livro em sua mão. Era o último livro de Richard Dawkins.



Confuso, desnorteado, o ateu não consegue entender o que está acontecendo. Só ouve o Satanás ao seu lado, falando como se fossem dois grandes amigos tomando cerveja num barzinho. E ele não parava de falar:

- Meu amigo, aqui você poderá fazer tudo o que você sempre quis. Nada é proibido, desde que você obtenha prazer. (acenando para um homem que passava). Oi Giordano!

O homem retorna o cumprimento. O ateu curioso pergunta:

- Aquele era Giordano Bruno?

- Hã? Ahh… sim! Desculpe-me por não apresentá-lo, mas não se preocupe, pois irá conhece-lo nas noites de quinta-feira. Todas as quintas fazemos jogatina, após o jogo de futebol. O único que não joga é o Karl Marx.

De repente, interrompendo a conversa, o céu fica escuro com nuvens negras e ventos fortes, com descargas de relâmpagos e trovões que parecem anunciar o dia do Juízo Final.

O ateu vê que a pradaria, outrora linda, virou uma fossa abissal que expelia de suas entranhas, labaredas sulfurosas, como línguas demoníacas.



No meio do céu tempestuoso, um homem aparece, gritando loucamente e ardendo em chamas, caindo diretamente na fossa aberta no chão. Tão logo o homem é engolido pelas chamas, tudo volta ao que era antes. A pradaria, Nietzsche e Voltaire no rio e Satanás não parando de falar, como se nada tivesse acontecido.

Perplexo pelo o que viu e não se contendo em curiosidade perante a passividade de Satanás o ateu pergunta:

- Que porra foi isto?

Satanás responde:

- Era um evangélico. Eles preferem o Inferno desta maneira.


Encontrei no Aventuras de Gtokai, que por sua vez viu no Pavablog.



5 mil pitacos!:

rayssa gon disse...

caraca, q texto fudido! adorei.


bem, era só dizer pra sua aluna q a rigidez do corpo passa depois de uma hora, eu acho.

e acontece com todo mundo. ateu ou não.

adorei. beijo :D

Beth Amorim disse...

Pois é Rayssa, eu ainda quis dizer, mas a aula estava no fim... Daí, nem deu tempo de deixá-la desapontada com a essa verdade...rsrsrs

Valeu pelo comentário!

Bjus!

Danielle disse...

Muito bom o texto.
Acho que meu inferno será uma rave eterna! xD

=*

Beth Amorim disse...

Uma rave??? rsrsrs

Por incrível que pareça, eu nunca fui numa rave!!! Mas, você falando assim, deve ser um troço muito bom!!!

Darius disse...

Nunca vivi com a mente acorrentada pelo medo de punição em outro mundo mas, se tivesse que optar, seria sem dúvida pelo “inferno” porque é aí que residirá toda a civilização actual.
No céu, além de madre Teresa e de um séquito de velhas beatas só existem anjos e padres pedófilos.

Saudações
Darius

Ps.: Imaginem só o tipo de vestes usadas para se suportar o calor de todas aquelas labaredas e a quantidade de cerveja existente.

Não Seja Egoísta! Compartilhe!