Gostou? Então espalha pra galera!

29 outubro 2010

Passei por uma hoje que, se eu não contar, enfarto já já! Affff…

Quase sempre quando comento sobre o meu ateísmo aqui no blog, é pra relatar algo que acontece comigo, justamente em função de ser ateia. Situações bizarras/engraçadas ou situações que me causam incômodo, desgosto, raiva e náuseas por viver “num mundo” impregnado de religião por todo lado.

Já disse aqui e repito. Se fulaninho “espera pela vontade de Deus” para que as coisas aconteçam em sua vida, ou se ele conforma-se com as mazelas da vida porque é a “vontade de Deus”, ou até mesmo se ele tira do bolso um dinheiro que poderia servir para comprar comida ou um bom livro (pra ver se fica um pouco “sábio”) e entrega pra uma Igreja, eu não tenho nada a ver com isso. A vida é dele, o dinheiro é dele, e que ele faça o que bem entender. Ponto final.

Mas, algumas situações me atingem de forma direta. E isso sim me causa incômodo. Passei por uma hoje, que se eu não contar, enfarto já já!… Affyy…

Fui a um encontro bimestral na escola em que trabalho. Aproveitaram a ocasião para “comemorar” o Dia do Professor (que foi dia 15 desse mês)  e o Dia do Funcionário Público (que foi ontem). Nunca pensei que fosse ter tanta ânsia de vômito num dia só, mesmo sem estar doente ou grávida. Foram situações que em 5 anos de profissão, eu nunca havia passado. Vou listar que é pra ficar mais fácil…

1.  Papo pedagógico vai, papo pedagógico vem, alguém tocou num assunto que inquieta muito professor conservador: a sexualidade do adolescentes aflorando em sala de aula! Disseram, de forma resumida, que “a sexualidade deveria ser trabalhada com os alunos; que isso era importante; que o professor deve ter um papel nesse sentido, ou seja, que o professor deve orientar os alunos, para que eles tenham a noção do que é ‘certo’ fazer e não saiam por aí fazendo ‘besteira’, envolvendo, nesse sentido, a questão da saúde” etc e tal. No meio dessa discussão, uma colega toma a palavra e diz o seguinte:

“Colegas, nós também devemos orientar não só pela questão da saúde. Devemos orientar também pela questão espiritual. Nossos alunos têm que entender que algumas coisas não são da vontade de Deus, ou seja, que Ele não permite algumas coisas. Por exemplo: a menina arruma um namorado e depois de um tempo começa a transar com ele. Passa mais um tempo o namoro acaba. Daí, ela arruma outro namorado e já vai transar com esse também, depois de um certo tempo de namoro. Desse jeito ela está se prostituindo. Isso não é coisa de Deus!”

>> Ela só faltou dizer que o correto é menina “casar virgem” (quer dizer, faltou dizer ali, mas aposto que a filha dela já deve ter ouvido muito isso -- ôenjoo dó da menina…). Agora me digam: o que é que tem a ver sexo com espiritualidade?? Acredito que a colega quis falar em “moral e bons costumes” (aquilo que ‘pregavam’ muito no tempo da minha vó). Acho que ela também quis dizer, que para alguém se dar ao respeito (ou seja, não sair transando com todo mundo!), tem que ter um Deus “ameaçador” por trás disso (lá vem a ideia do pecado). Vocês já imaginaram uma coisa dessas? Aí quer dizer que euzinha aqui, ateia como sou, por não ter “medo” de Deus me castigar, vou sair ‘dando’ a qualquer um? Peraí, né colega! As náuseas começaram a surgir aí.

Chegou o horário do almoço. E lá fomos nós “matar quem estava nos matando” (=fome). Passado o pequeno recesso, voltamos aos trabalhos…Nesse segundo momento do encontro, tive que me controlar e aproveitar o ar frio do ar-condicionado, para gelar um pouquinho esse sangue quente que corre pelas minhas veias…

2. Diante dos desabafos e queixas dos colegas “sofressores”, um dos colegas disse o seguinte: “estamos passando por momentos muitos difíceis. Os alunos não querem mais nada, e já tentamos de tudo. Porém, nada adiantou. Nesse momento, tudo o que podemos ter  é ‘fé em Deus’. Só Deus para ajeitar esse funaré que virou a educação.

>> Tive vontade de dizer a esse colega: Sente-se e espere pra ver se o seu Deus resolve alguma coisa…Não faça nada! Sente e fique aí aguardando… Perascaridade! Como é que um educador, diante desse caos que está a educação básica do país, quer esperar por Deus para resolver os problemas??? Pare o mundo que eu quero descer! –> Mais náuseas…

enjoo4

3. Momento de despedida chegando, todos “são convidados” a refletirem ao som de uma música. Legal, uma música para acalmar os meus ânimos! Que música vai ser??? Uma música Gospel… chama-se “Invocando o Senhor”! Putz! Não acreditei. O coordenador, que estava ao meu lado, tentou (pq ele não conseguiu) pegar a minha mão, para numa ‘grande roda’ (todos juntos de mãos dadas) “invocarmos o Senhor”.Me recusei, e fiquei bem sentadinha no meu lugar, só olhando aquela “coisa” linda… Todos de mãos dadas, “invocando e louvando ao Senhor”!

enjoo2>> Nessa hora, o almoço que eu tinha acabado de colocar pra dentro, veio até a garganta. Sério. Nunca me senti tão mal. Será que aquele povo não sabe que algumas pessoas não têm religião? E que, por um acaso, uma dessas pessoas podem estar bem ali, naquele local? Agora eu vou ter que concordar com o leitor anônimo, que disse que os ateus são “inúteis”!  Realmente, eu não sirvo para muitas coisas.  Não sirvo pra ser feita de palhaça. Não sirvo pra ser desrespeitada como fui. Não sirvo pra ser hipócrita e me fazer passar por alguém que engole esse tipo de coisa. E já tomei uma decisão. Vou pessoalmente falar com a supervisora e o coordenador para que eles elaborem programações que envolvam todos, e que eliminem Deus e religião desse tipo de coisa. Afinal, eu não estou numa Igreja. Estou numa escola. Respeito a fé de todos lá, mas esse tipo de coisa “não póooodxi”! Não falei nada na hora, para não estragar a alegria dos colegas… Sou muito boazinha, né?

4. Para finalizar, um slide. Título: O Ferreiro. Esse eu não vou nem comentar, porque vocês podem ver com seus próprios olhos (é só clicar aqui também).

Diante de tudo isso, avaliem como foi minha sexta-feira… Se “o céu” existisse, eu já merecia tá lá, só por ter sobrevivido à tantas “provações” !!! Caramba! Foi massacrante esses momentos finais do encontro…

 

Assinatura

5 mil pitacos!:

Alessandro Dogman disse...

Sabes que não temos as mesmas opiniões sobre política, mas sobre religião (aliás, sobre não-religião), estou contigo e não abro. Quanto mais religiosas, mais insuportáveis as pessoas se tornam. Eu já terminei namoro e já perdi emprego por ser ateu. No entanto, independentemente do que me aconteça de ruim, não mudo nem me vendo. Hipocrisia, ao lado da desfaçatez, é o pior defeito que um ser humano pode ter. E isso vale para qualquer crença exagerada. Os evangélicos, por exemplo, são tão malas quanto os numerólogos, os são-paulino e os vegetarianos. Sem falar na turma do candomblé e da ioga. Mas faça como eu: ria muito de tudo isso. Afinal, somos causa perdida. Graças a Deus!

rodrigo disse...

Que dia complicado heim menina?

Eu tbm me enojo diante de situações destas, pois é tanta mediocridade, tanta ilusão e alienação, que nós livres pensadores ficamos estarrecidos com a possibilidade de haver pessoas tão ignorantes.
Como o alessandro disse acima, eu tbm terminei namoro devido a crença religiosa dela, pois no inicio um não se metia com o outro, mas com o passar do tempo persebi que ela estava tentando me influenciar, então terminei, não por medo de ser influenciado e sim porque ela impos condições e ninguem me impõe nada em que não acredito.

Nordestina Porreta disse...

Beth minha amiga! Tudo bem né?
Te mandei um email e como disse que pouco acessa lá, fica o lembrete. Passa lá!Psiuuuuu! Proibida de se rir d'eu...Só prá relaxar!
-----------------------------------
Quanto ao assunto do seu "Dia Festivo" Estou tão desconfiada que 2012 vai virar Realidade. Não vai ter outro jeito de consertar estas "cabecinhas" e o que faremos nós? Passar a ter ataques de Bulimia diáriamente. A todo momento só vemos fatos iguais aos que narrou.
Tá F...né amiga.
CASO VERÍDICO.
deus existe. Acredite!(quáquáquá)
"São Pedro indignado pergunta a deus. Senhor porque no Brasil não tem Terremotos, Vulcões, Tsunami's etc? Aí deus responde calmamente;
Calma Pedro, Tu não sabes o Povinho que coloquei lá."

SORRIA...Bjusss no coração.

adriano disse...

Veja bem Beth, bom primeiramente ola.Em todos os lugares que estivermos estaremos lidando com esse tipo de pessoa.O maior problema é que 90% dos brasileiros são estupidos,a quer dizer,são cristãos,sejam eles evangelicos, testemunhas,adventista,católicos ou protestantes.Em tudo,essas pessoas vão estar dispostas a colocar deus para se entrometer.Isso é realmente uma infelicidade porque essas pessoas vivem sob a direção do que eles chamam de lideres espirituais.E é mais facil entregar a vida deles para essas pessoas do que pensar racionalmente por si mesmas.É lastimavel o que vou dizer mas é a realidade.O próprio Richard Dawkins esperava que o seculo xxi fosse diferente,que haveria mais racionalinidade e que as pessoas abandonassem essas mitologias criadas por eles mesmos.Uma frase de Michel Onfray é dura mas é a vardade que temos que aceitar,lembrando que ele é o filósofo mais lido do momento e ateu:"deus morrerá somente quando o último homem morrer".Abraços.

adriano disse...

Uns adoram as pedras-das tribos mais primitivas aos muçulmanos de hoje que giram em torno do béti da Caaba-,outros a lua e o sol, alguns um Deus invisível, impossivel de representar sob pena de idolatria, ou ainda uma figura antropomórfica-branca, masculina, ariana evidente...-, outro vê Deus em toda parte, como panteísta rematado,um outro,adepto da teologia negativa, em lugar nenhum,uma vez é aorao coberto de sangue, coroado de espinhos, cadáver, outra numa haste de capim ao modo oriental xinto: não há nenhuma facécia inventada pelos homens que não tenha sido colocada a serviço de ampliar o campo dods possiveis divinos...
Michel Onfray no Tratado de Ateologia

Não Seja Egoísta! Compartilhe!