Gostou? Então espalha pra galera!

21 junho 2011

#Private



... E às vezes, tudo que o que nós queremos é um pouco de privacidade, né??? Nossa "figura" sofre tanta exposição, seja no trabalho, seja participando de eventos na sociedade, ou mesmo nas famigeradas redes sociais (eu que o diga!), que às vezes, ter um cantinho só nosso, torna-se algo imprescindível... 

É sempre bom ter aquele lugar que consideramos nosso refúgio, nosso esconderijo, nosso "templo" de sossego e reflexão; onde ficamos longe dos olhos das outras pessoas, fechamos as cortinas e decretamos o "recesso do espetáculo"! 

É sempre bom... Mas nem sempre possuímos esse lugar! 

Aqui em casa, por exemplo, a palavra "privacidade" quase não existe! Moro na casa da minha mãe e aqui é tipo assim: "meio mundo" de gente vivendo no mesmo lugar, tentando dividir os mesmos espaços e às vezes, invadindo os espaços dos outros! São sete moradores "oficiais" e mais os "agregados" que sempre aparecem durante o dia. A casa tá quase sempre cheia de gente transitando de um lugar para outro! Uma loucura.

Pode até parecer, mas eu não sou antissocial! Pelo contrário! Eu adoro gente perto de mim. Gosto mesmo. Mas sempre existe aquele momento em que você quer ficar sozinha, pensar, relaxar, ouvir uma música sem precisar incomodar os outros (ou sem ser interrompida), ver aquela comédia romântica linda e melosa, que te faz "chorar horrores", sem ter ninguém por perto pra te zoar por causa disso, receber uma ligação e falar ao telefone, sem ter platéia para ouvir... Enfim, um lugar pra chamar de seu, onde você possa ficar completamente à vontade.




Sinto falta disso aqui em casa... Aliás, eu acho que nunca tive um lugar assim! rs... Imaginem aí: eu já inaugurando a fase balzaquiana, e nunca tive um lugar só pra mim! [Quarto, por exemplo, sempre tive que dividir com alguém - tia, filhas, marido...] Bom, mas apesar dos estresses que por vezes acontecem, sei que preciso [por enquanto] aprender a conviver com isso... E no dia em que eu não aguentar mais, vou procurar o Minha Casa, Minha Vida... rsrsrs... Talvez lá, eu ache a solução! 



7 mil pitacos!:

Janaína Bento. disse...

Nossa, como te compreendo. Qdo quero ter privacidade saio de casa, vou dar uma volta, bem naquele estilo: sozinha no meio da multidão.

Sandra Portugal disse...

Aprendi a ter o meu cantinho em meio "a multidão"...rsrssr
bjs Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//

Non Nattus Júnior disse...

Olá Beth,
A Balzaquiana.

Não tem como deixar de invadir seu espaço virtual(rsrsrsrs).

Só as grandes pessoas ,tem esta consciência de que "ficar sozinha,"é se encontrar consigo mesma. É se relacionar com as várias partes da personalidade que forma o indíviduo.

Outra verdade,chorar sozinho, é maravilhoso,por que quando tem alguém por perto,normalmente esta pessoa com um comentário tira o extânse de sentir uma lágrima percorrendo pela face.Por ser homem,sempre tive que me ocultar,e muito, para poder chorar..rsrsrsr

Uma abração!!!

:: Mari :: disse...

Beth querida,

Te entendo perfeitamente, passei praticamente toda minha existência numa casa assim, gente por todos os lados... saí de lá a 1 ano, e confesso que a confusão, bagunça etc, tem horas que fazem falta, rsrs

Aproveitando para agradecer pelas lindas palavras que deixaste no meu Tic Tac, saiba que naquele momento confortaram meu coração.
Hoje estou bem, as coisas estão começando a se encaixar novamente... o tempo cura, estou nesse processo.

Muito obrigada!
Bjos

Luria Corrêa . disse...

O tempo pra nós mesmos, tanto ajuda quanto pode atrapalhar. Podemos preencher nossos vazios temporariamente, mas precisamos aceitar as circunstâncias, pelos lados que nos fazem bem. Talvez por isso privacidade. Lindas as suas palavras Beth, assim como seu blog.

Abraço. www.disturbiossobrios.com

Ju Dacoregio disse...

Como a gente se cobra por chegar (ou estar chegando) na casa dos 30 e nunca ter morado só, ou viajado pelo mundo, ou nunca ter se casado, não ter uma carreira definida, e por aí vai, né? Sei que você falou meio na brincadeira; eu também brinco com o fato de ter 30 e ainda não ______ (posso acrescentar várias coisas). Mas o negócio é que não existe idade pra já ter feito ou deixado de fazer alguma coisa. Não existe um padrão a seguir, por mais que a sociedade nos force a acreditar que exista. Claro que o que estou falando não é nenhuma novidade. Você, mais do que muita gente, sabe o quanto a vida é instável e não segue o cronômetro de ninguém. Mas mesmo assim, acho que no fundo a gente se cobra certas posturas e marcos de crescimento. Eu me incomodava muito por morar com meus pais ainda. Já havia morado longe de casa por alguns períodos, mas sempre acabei voltando por um motivo ou outro. Agora sinto que dessa vez é mais forte, é "pra valer", e tenho um cantinho meu. Aí surgem outras novas auto-cobranças do tipo, quando o "cantinho só meu" vai ser sustentado somente por mim, etc, etc. Acho que é um poço sem fundo de cobranças e desejos. Minhas cobranças são muitas (pra variar), mas o desejo mais forte agora é poder aproveitar mais o meu cantinho não sendo apenas para dormir. hehehe
É... é a vida, sempre ensinando alguma coisa.
beijos lindona!

Mara Melinni disse...

Olá, Beth!!

Nossa, de repente eu me enxerguei perfeitamente nas suas palavras... Acho que é da nossa natureza humana precisar conviver em grupo (vc, muito melhor do que eu sabe disso), mas chega aquele momento do dia, da semana, ou por acaso, em que é preciso tratar do nosso eu, da nossa alma, e isso exige um tempo só nosso, um lugar a sós, longe de tudo, um encontro c/ o silêncio.
Uma semana de paz p/ vc!
Bjoooo

P.S.: Lá em Contatos, no Mel´s Versos, tem um selo p/ ti. ^^

Não Seja Egoísta! Compartilhe!