Gostou? Então espalha pra galera!

03 junho 2011

Hoje, 3 de junho, é o aniversário dele!

Tempestade de Ideias - 3 anos!

...Desse que é: meu companheiro, meu ombro amigo, meu divã [onde exponho minhas fraquezas, sentimentos e conflitos pessoais], meu cantinho para desabafar quando não há um amigo de "carne e osso" por perto, meu "travesseiro", onde deito a cabeça e deixo os pensamentos fluírem em dias de insônia, enfim, aquele que é meu blog pessoal e todos conhecem por "Tempestade de Ideias"...

Agora vocês conhecerão sua verdadeira história, aquela que nunca antes na história desse blog, contei tão detalhadamente...

Preparados? Então, bora lá!

Era 3 de junho de 2008, quando resolvi criar o Tempestade de Ideias. Sem saber direito o que ia escrever, com milhares de dúvidas na cabeça e com um aperto enorme no peito, comecei a extravasar tudo aquilo que sentia naquele momento... 

Na época, eu estava no início do meu relacionamento com Anderson (fazia uns 3 meses que eu tinha conhecido meu Bb...). Ainda não tinha me dado conta do quanto eu estava apaixonada por ele - afinal, apaixonar-me loucamente por alguém, era algo bem raro de acontecer comigo... [Ver o texto: Coisas que acontecem...]

Mas exatamente nesse dia, ou seja, 3 de junho de 2008, alguma coisa começou a dizer-me que aquele relacionamento estava prestes a "afundar", sem nem ao menos ter tido uma confirmação de que ele realmente "existia" (escrevi depois sobre isso aqui). Passei a perceber ali, que algo não estava bem entre nós. Comecei a sentir que Anderson estava "me deixando"... Não tínhamos um relacionamento formal e/ou sério. Estávamos naquela fase de "ficar"... De nos "conhecermos melhor". Mesmo assim, já tínhamos criado um vínculo um com o outro.

E então, para minha confirmação, o que eu estava apenas intuindo realmente aconteceu. Na véspera do meu aniversário (ou seja, no dia 8 de junho, 5 dias após criar o blog), ele terminou tudo comigo (foi o primeiro namorado que fez isso! Era sempre eu que acabava meus relacionamentos!!). Quer dizer, ele terminou "tudo" o que nem havia começado direito. Foi o pior aniversário da minha vida [nesse dia, não consegui escrever nada no blog!]. E achei que a decepção que sofri, tinha parado por aí... Enganei-me...

No dia 12 de junho (o dia que eu pensei que passaria com ele...), eis que vou a uma festa, e a primeira pessoa que encontro é Anderson. Detalhe: estava com uma namorada... Sentindo o que eu estava sentindo por ele, imaginem aí minha reação... Pois é... Fiquei super, hiper, mega abalada, entristecida, decepcionada. No entanto, guardei tudo aquilo que senti na hora, aqui dentro desse peito sofredor. Não demonstrei nenhuma reação. Agi friamente. Coloquei um sorriso no rosto e dancei a noite inteira. Mas só eu sabia o que se passava dentro de mim... No outro dia, veio a ressaca por ter "engolido a seco" tanto sentimento ruim: "vomitei" tudo em palavras aqui, nesse texto.

Nesse momento, o blog foi muito importante. Desabafei todas a mágoas escrevendo... E para piorar a minha tristeza, uma semana após essa festa, Anderson assumiu publicamente o namoro com essa menina, e isso foi muito difícil de aceitar. Minha autoestima foi "pras cucuias". Fiquei mal por um tempo, embora não tenha deixado de "viver" por causa disso. 

No entanto, ele não ainda não sabia se tinha tomado a melhor decisão. Até porque durante os 4 meses que ele passou com a menina, o mesmo não deixou de me procurar. Ainda ficamos algumas vezes, mesmo ele estando com ela. No final do 3º mês, acho que ele ficava mais comigo do que com a própria namorada (só a paixão pra me deixar tão cega!). E então, a situação chegou ao ponto em que precisei colocá-lo contra a parede. Ele tinha que tomar uma decisão. E ele tomou. Terminou o namoro, disse que  eu era a mulher da vida dele, que só eu poderia fazê-lo feliz e começamos a nossa "enrolação" novamente! 

Nesse meio tempo, o blog serviu muitas vezes de mensageiro. Eu escrevia para desabafar, mas também pra mandar mensagens subliminares! Anderson lia, e entendia tudo! Porém, às vezes não gostava do que lia. Minha "acidez" ficava muito aflorada em certos momentos, e ele sentia o "gosto amargo e cortante" dos meus textos...

Após o término desse namoro dele, ainda passamos 6 meses numa "enrolação" sem conseguir engatar nenhum compromisso sério. Porém, em abril de 2009, resolvemos assumir de vez nossa relação. E eu expressei aqui a minha felicidade quando isso finalmente aconteceu. A partir desse momento, o Tempestade de Ideias passou a ser [também] palco de uma linda história de amor... Um amor que nasceu no primeiro olhar (como ele mesmo disse aqui), mais que demorou 1 ano e 2 meses para ganhar o valor e o cuidado que merecia.

Com os [muitos] altos e [poucos] baixos que esse amor teve, aqui contei de tudo, muitas vezes até de forma dissimulada, e carregada de metáforas, que só ele, meu Bbzim, compreendia. 

E assim, a história desse blog confunde-se com minha história com Andinho. E mesmo que essa história com o grande amor da minha vida tenha chegado ao fim de uma forma tão trágica, eu me sinto no dever [e com a necessidade] de continuar com esse espaço, pois ele já faz parte de mim...

Hoje vocês estão acompanhando minha luta para superar esse desgosto profundo que sofri com a morte de Andinho. Um pesar extremamente doloroso, que não tem data marcada para terminar. Acho que de todos os 3 anos de existência, o Tempestade de Ideias nunca tinha sido tão importante para mim como foi agora. Foi aqui que encontrei forças. Foi aqui que pude despejar minha dor. Foi aqui que encontrei conforto nas palavras de carinho que as pessoas deixavam. E está sendo aqui que estou mostrando todo o poder de superação que jamais imaginei que eu pudesse ter...

Desse modo, posso afirmar que aqui estão os 3 anos mais intensos que vivi. Tudo registrado em postagens que brotavam [e ainda brotam] do meu mais íntimo ser. Amadureci durante esse tempo e hoje, mais do que nunca, desnudo-me sem vergonha alguma de mostrar quem realmente sou. Grito, para quem quiser ouvir, minhas dores, minhas alegrias, minhas confusões, minha personalidade mutante, minhas tristezas, minhas angústias, minhas críticas... 

Sei que toda a exposição tem suas consequências... Mas, mesmo assim, estou disposta a lidar com elas. Mantendo meus pés no chão e minha cabeça no lugar, sigo a caminhada. Não sei quando a estrada chegará ao fim, por isso apenas vivo. Sem medo de enfrentar o que for preciso, para ser uma pessoa feliz.

Agradeço aos visitantes, aos "comentaristas", aos 170 seguidores, ao pessoal que gosta e compartilha com os amigos, enfim, sou grata a todos e todas que passam por aqui, dando-me  uma média de 400 visitas diárias. Não é muito, eu sei. Mas já fico extremamente feliz, pois como eu já disse aqui várias vezes, nunca imaginei que alguém quisesse ler essas minhas histórias tão... tão... ah, deixa pra lá!

Espero que continuem me visitando, e se possível [ou quando possível for], interagindo comigo! Adoro quando vocês comentam e me dão cabimento!!! (risos)

Beijos!





7 mil pitacos!:

Um brasileiro disse...

oi moça. muito legal. gostei. e parabéns pelo blog. apareça por la. beijos e abraços.

Non Nattus Júnior disse...

Olá Beth
A fortaleza.
Fiquei contente em reconhecer que és a superação em ação. Eu que agradeço pelo privilégio de acompanhar a sua epópeia. Vc verdadeiramente ,mesmo pelo meio tão doído,tem nos dado uma baita lição de vida. Tenho certeza que cada um que tem pasado por aqui,tem se tornado novas pessoas para encarar os desafios da vida. Espero que continue nos honrando com seus textos e exemplo vida,tão edificante .

Um abraço virtual.

Pensamentos soltos disse...

Beth, Parabéns pelos 3 anos de tempestade de idéias. Comecei a acompanhar por tanto o seu namorado fazer propaganda, fui conferir e viii que ele tava com toda razão. Até porque ele era suspeito de falar ... rs rs rs. Acompanho o tempestade de ideias até hoje, e você consegue ser admirada pela forma que forma que conta o que sente, e pelo carinho com todos os que te acompanham.
BeijoOs.

Beth Amorim disse...

Obrigada a vcs por estarem sempre por aqui!! Beijos, amigos queridos!

Alexandre Fernandes disse...

Beth, deve ter sido muito difícil suportar toda essa dor. E ainda permanecer aqui, lutando. E no fundo aqui serve muito como um alicerce onde tu pode repousar o que tu sente, de uma forma que te deixe mais leve, com menos peso desta aflição.

Você realmente nos ensina bastante mostrando essa persistência, e esta força tão capaz de te fazer suportar e buscar superar.

Um beijo! Te cuida!

ana cristina disse...

oi beth, parabéns pelo blog, mta linda a história. te sigo tbm no twitter,me segue lá tbm @cristinaamriz31,rsrsr!
bjuh e tudo de bom!!

ana cristina disse...

Beth corrigindo o twitter,rsrrs
@cristinamariz31

Não Seja Egoísta! Compartilhe!