Gostou? Então espalha pra galera!

26 maio 2010

E você ainda está nessa vida, criatura?

Foi reprovada dois anos seguidos no Ensino Fundamental I. Foi nessa época que descobriu que tinha apenas dois neurônios. Enquanto ela usava um, mandava o outro para a lavanderia. Percebeu também por essa época, que jamais conseguiria atrair alguém por sua personalidade, até porque ela não sabia o que era isso, imagine ter uma!



Para completar o quadro, pintou o cabelo de amarelo aos 16 anos... Ela tinha que atrair a atenção de alguma forma. E já que pela inteligência sabia que era impossível, resolveu, enquanto poderia, mostrar seus atributos físicos. Matriculou-se na academia do subúrbio em que morava e passou a frequentar diariamente aquele local. Conseguiu amigos, pernas bonitas, cintura fina, barriga chapada (tá, nem tão chapada assim...). Ganhou até admiradores pelo belo corpo, porém, quando começava a falar...


Sim, mas o tempo passou e o corpo ela esculpiu. Tinha agora "uma arma" nas mãos. Conquistaria o homem que quisesse, assim ela pensava. Realmente, alguns babacas ficavam de  queixo caído quando ela passava rebolando de shortinho. Porém, quando ela começava a falar...

Tudo o que ela mais queria era um namorado bacana, que tivesse carro e dinheiro. Se fosse bonito, melhor ainda. E foi então que ela conheceu alguém e disse: _É esse! E num piscar de olhos, conseguiu atrair a presa. Foi como mágica.

Os dias se passaram... O namorado bacana adorava ter uma namorada bonitona, novinha, loirinha, e tudo mais. Porém, quando ela começava a falar....

Ele até hesitava em levá-la nos encontros com os amigos. Tinha medo que ela quisesse usar seu único neurônio justamente naquela hora. Além do mais usava vestes vulgares e chamativas [ela realmente gostava de aparecer]. E foi assim que ele percebeu que mulher é muito mais que coxa grossa, cintura fina e bunda grande. Aliás, ele percebeu que poderia achar alguém com tudo isso, mas vindo com inteligência, sabedoria e discrição no pacote. E então, ela o perdeu. Para sempre.

 

Ela não se conformou e disse: _Como alguém pode me dispensar assim, sem mais nem menos? Resolveu apelar. Fez um orkut e começou a postar suas fotos. Era bunda pra todo lado. O melhor de tudo eram as legendas. No entanto, não podemos deixar de falar das poses.  Era cada uma... Deitada na cama, com cara de "me coma", de costas mostrando a parte do corpo que mais a orgulhava [a bunda, claro!], enfim, toda uma sorte de insinuações. Tadinha. Mal sabia que dessa forma ela estava acabando com sua reputação (se é que ela ainda tinha uma). Quem a levaria a sério depois disso?

Bom, mesmo assim, ela não parou. E todos pensavam... Para que servirá tanta beleza? Somente para se expor no orkut numa foto com cara de "me coma"? As pessoas próximas ainda tentavam alertá-la dizendo que de nada adianta um livro ter somente "uma capa  bonita". Se ele não tiver conteúdo, nunca chegará a ser um best-seller.


Entretanto, ela não entendia o que as pessoas falavam (best-seller? o que é isso? seria um cachorro?). Simplesmente porque inteligência ela não tinha para compreender...
[Beth Amorim]

2 mil pitacos!:

Relatos do Gestar II / Pendências- Rn disse...

Quase "estouro" de tanto sorrir com esse seu post.

Dayse Sene disse...

Por acaso te encontrei!
Gostei!
Fiquei!
Muito legal seu texto...
Um dia lindo.
Abraços.

Não Seja Egoísta! Compartilhe!