Gostou? Então espalha pra galera!

22 maio 2010

Por que Você não Acredita em Deus???

Ultimamente essa tem sido uma das perguntas mais frequentes que as pessoas me fazem. Bom, e a minha primeira e matadora resposta é a seguinte: _ Como posso acreditar em algo  que para mim Não existe?!


E então, devido à curiosidade, as pessoas acabam perguntando um monte de coisas sobre a vida "de uma aberração" ateia!!! (rs). Essas são algumas perguntas que já me fizeram:
  • E quando você faz uma promessa, você faz promessa para quem?
  • E quando você morrer, se você encontrar Deus, você vai acreditar nele? (essa foi demais!)
  • E pra onde você acha que vão as almas das pessoas que morrem?
  • Aliás, você acredita em Alma?
  • Mas você também não ver o vento! E então, você também não acredita que o vento existe? (essa é hilária!)



Porém, sendo ateia só encontrei vantagens! Pode até parecer loucura para quem é religioso, mas é a pura verdade. A sensação de liberdade e lucidez que adquiri é imensamente recompensadora!

E, para responder alguns questionamentos, resolvi publicar esse texto que encontrei no Blogadão, falando sobre 7 vantagens em ser ateu. Vejam: O TEXTO QUE SEGUE  ABAIXO NÃO É MEU, OU SEJA, NÃO  SAIU DESSA 'CAIXOLA' AQUI, ok? Divulgo apenas para a apreciação, de quem desejar saber um pouco mais sobre os ateus e alguns de seus pensamentos. Além disso, não é uma regra, e muito ateu pode não pensar da mesma forma que o autor do texto (até eu! ... em certos pontos). Então, vamos relativizar, ok, galera?

1) Você se torna mais independente
Uma coisa é certa, quando você acredita em Deus na verdade você está barganhando com ele. Você troca um pouco da sua liberdade, seu cérebro e fidelidade e recebe em troca uma proteção divina, um Amor infinito e um preenchimento espiritual, coisas que na minha vida inteira de cristão só ficaram no papel. Quando você se torna ateu, deixa de depender de um ser invisível para tomar conta de sua vida e passa a controlá-la você mesmo. É normal durante um tempo você sentir um “vazio por dentro”, mas ele pode ser facilmente preenchido com livros, um ótimo namorado e bons amigos.
2) Você passa a temer coisas de verdade
Se eu pudesse fazer uma lista com as coisas que os religiosos mais temem, com certeza as três primeiras seriam Inferno, Deus e Ateus. Quem tem consciência de seus problemas e sabe que forças ocultas não os resolvem entende que temer que cortem sua luz faz com que você arranje dinheiro e pague a conta de luz. Se você religioso estacionou na vaga de deficientes e acredita que por isso Deus vai mandar 15 meteoros flamejantes em cima da sua casa com sua mulher e filhos dentro, então é melhor e mais lucrativo que você comece a usar toda esta paranóia para escrever livros de suspense, isto é, se você não achar que livros de suspense seja um pecado menor e mereça apenas 8 meteoros.
3) Começa a achar engraçadas (ou não) pessoas de quaisquer religião
Para um ateu não há prazer maior do que invalidar argumentos (se é que podem ser chamados assim) de religiosos. É algo que complementa nossas vidas. Quando chega um religioso pseudo-intelectual dizendo “Ahh, se Eva não tivesse caído na tentação do fruto, hoje todos nós estaríamos blá blá blá…” e você, ateu consciente, ouve aquilo, já até esboça um sorriso na cara. Depois de um tempo passa até a duvidar de que realmente acreditava nestas coisas, e nunca imaginaria que seus antigos amigos religiosos poderiam ser tão hilários…
4) Acredita na Ciência
Chega até ser triste, mas ainda vemos que no século XX encontramos pessoas que estudaram na vida, fizeram curso superior (algumas até doutorado) e mesmo assim dizem coisas como “É provável que Deus tenha criado todos os seres-vivos do planeta…”. Porra, se já existem dezenas de teorias científicas (sim, dezenas) que explicam o surgimento da vida na Terra, o surgimento do Universo e até coisas aparentemente inexplicáveis como reencarnações, astrologia, curas espirituais e outras besteiras já invalidadas, porque é que pessoas estudadas insistem em martelar esta mesma tecla? Se a ciência não explicou hoje, pode ser que explique amanhã. E as religiões fazem papel de “oniscientes” sobre estes assuntos, muitas vezes até contra seus princípios. Mas eu acredito que todo o esforço das religiões em explicarem como funciona o mundo são ínfimos perto do que a ciência pode proporcionar, e isso torna ateus pessoas comprovadamente mais sabidas do que religiosos.
5) Confia mais nas pessoas
Seguir a risca o “ter fé em Deus” implica em crer que apenas ele é um ser totalmente confiável. Existem inúmeros exemplos de histórias fantásticas que nascem nos sermões de pessoas que confiaram em outras e se deram mal, mas começaram então a confiar apenas em Deus e se tornaram ricas e felizes. A vida contém desilusões, é humano creditar confiança aos outros e também é humano abusar desta confiança e magoar alguém. Porque errar é humano. Religiosos tentam ser pessoas perfeitas e por isso nunca aprendem com seus erros, a não ser que uma coincidência ridícula (que eles logo associam com Deus) os façam mudar de opinião. Esta busca pela perfeição os fazem dar crédito apenas a um ser que julgam ser perfeito: Deus. Todas as pessoas então passam a serem exemplos de imperfeição que os religiosos insistem em querer “ajudar”, quando na verdade querem corrigir e fazer uma média com o deus deles. Ateus confiam apenas nas pessoas e por terem experiência nisso acabam encontrando gente confiável de verdade para ter como amigo ou só como conhecido mesmo. Eu em uma vida religiosa nunca tive tantos amigos de verdade como em apenas dois anos de ateísmo.
6) Age mais por vontade do que por obrigação
A liberdade que uma vida ateísta proporciona faz com que você tome decisões que na maior parte das vezes vão levar em conta primeiro sua vontade, pra depois levar em conta a obrigação. Qualquer religioso usa um espécie de “filtro Deus” pra tomar atitude sobre qualquer coisa. Se a turma vai sair para encher a cara e convida o cara religioso pra ir junto, este vai com certeza pensar “será que Deus aprova isso?”. No final das contas o pessoal vai beber até cair, alguns vão vomitar, outros vão ficar de frescura, mas o religioso não vai curtir plenamente como todos estão curtindo, por acreditar que aquilo que estão fazendo é errado. Como já disse antes, acreditar em Deus é o mesmo que barganhar com Deus. O ateu não precisa de um “Pai celestial” para mantê-lo na linha, pois conhece seus limites como pessoa, e também sabe que não deve nada a Deus por, obviamente, saber que ele não existe.
7) Você se torna mais tolerante
Pegando o gancho do item anterior, o ateu não acredita que um “ser superior” dite as regras da sociedade. Ele vai ter seu próprio julgamento sobre o que é certo e o que é errado, diferente do religioso que basicamente teve sua opinião formada pelo sacerdote da sua igreja qualquer. Um ateu tem o direito de achar certo ou errado coisas como pena de morte, aborto, pedofilia, estupro, guerras, divórcio, trabalho infantil, comunismo ou seja lá o que for, enquanto o religioso vai ter que se contentar (e se contenta, sem pensar) em ser contra todas estas coisas citadas aqui, pois acredita que a sua igreja é a ponte direta entre ele e o senhor-supremo-da-verdade-e -do-Amor-infinito…

Fonte: Blogadão




10 mil pitacos!:

Anônimo disse...

Nossa! Esse texto fala tanto de incoerências e o próprio é incoerente. A ciência tem ,sim, várias "ideias" para descrever a criação do universo, porém nenhuma delas foi provada e todas são sem sentido. Isso sem falar nos outos absurdos que tem no texto, ao contrário do que diz nele, nem todos os que creem em Deus se baseiam somente na sua fé e esquecem do mundo, muitas pessoas inteligentes e intelectuais sabem unir a religião e a ciância perfeitamente.

Jacknamar disse...

Essa é a Beth que eu adoro!!!

Um super abraço querida!

Do seu fã incondicional,

Jack.

Beth Amorim disse...

Ôww meu amigo Jack!! Obrigada pelo carinho!

Beth Amorim disse...

Eu disse que não publicaria comentários de "Anônimos", porém o que está logo acima resolvi publicar só para mostrar que respeito a opinião alheia, mesmo sabendo que essa pessoa não respeita muito a dos outros.

No entanto, mesmo sem nome, você tem todo direito de concordar ou não com o que lê. No entanto, afirmar que as teorias científicas que tentam explicar (e explicam com clareza!) o surgimento do universo são "sem sentido"... Essa foi para rir mesmo! Porque aí eu fiquei pensando sobre a teoria religiosa... Quer coisa mais sem sentido do que acreditar num ser invisível que criou tudo o que temos no planeta em apenas alguns dias? Sem falar na história de Adão e Eva...

Bom, mas para não prolongar muito, agradeço a visita do anômimo e a possibilidade que ele deu de confirmar muito do que o texto fala sobre as pessoas ligadas a uma religião...

paula raquel disse...

Vc arrasa! rsrs
Mas em partes eu concordo com o anônimo.

valmidenio disse...

Anônimo:

porém nenhuma delas foi provada e todas são sem sentido.

Ele poderia ter completado: "...sem sentido, igualzinho à minha crença em Deus".

Legal o detalhamento das vantagens.

Beth Amorim disse...

É verdade, Barros!!! rsrsrs!

Fabio Rufino disse...

Você tem idéias interessantes e sabe expressá-las, mas me tira uma dúvida: Você realmente acredita que os pessoas que acreditam em Deus sejam "ignorantes" e que as que se dizem atéias são as mais inteligentes?
Sobre as questões relacionadas a criação e formação do nosso planeta, as científicas são baseadas em "teorias" por não poderem ser comprovadas, quer sejam em parte ou em sua totalidade, embora sejam muito interessantes (se fossem comprovadas seriam "teses" e não "teorias"). Nesse caso estariam bem parecidas com a teoria religiosa (ambas necessitam de uma quantidade de fé para serem validadas, não acha?)
Acho interessante como você se expressa, mesmo não concordando com a maior parte do que é dito.
grande abraço.
Fabio Rufino
fabio_rufino@yahoo.com.br

Beth Amorim disse...

Não, Fábio. Eu não acho que os religiosos sejam menos inteligentes que os ateus. Talvez um pouquinho mais preguiçosos.. rsrs...

Bom, brincadeiras à parte, saiba que gostei do seu comentário. Embora não concorde muito com o que vc disse... tbm...

Porém, já dizia nosso velho e saudoso Voltaire: "você pode não concordar com uma só palavra do que eu digo, mas deves defender até a morte, o meu direito de falar livremente"... (acho que foi mais ou menos isso..rs)E então, acho que nesse ponto concordamos.

Cada um escolhe em que acreditar. Se eu acredito que as "teorias" científicas são mais dignas de confiança (mesmo que algumas delas ainda não estejam "totalmente" comprovadas) eu acredito que devo confiar nelas.

Mas até onde eu sei, muita coisa já foi comprovada sim sobre o surgimento do planeta e da vida nele. Estão aí a História, a Física, a Geografia, a Geologia, a Arqueologia, a Paleotologia (etc) que não me deixam mentir.

Ao contrário da "teoria" religiosa, que nesse ponto, chega a ter "zero provas", né? Bom, mas quem quer, acredita nela...

E então é isso aí. Obrigada mais uma vez pelo comentário. Fique à vontade pra comentar sempre que quiser!

Anônimo disse...

Você acredita em milagres? Você é um milagre de Deus, sua existência não é em vão! Ao invés de questionar a existência de Deus, porque não tenta o conhece-lo primeiro? Beijos, pense nisso ! Jesus te ama.

Não Seja Egoísta! Compartilhe!