Gostou? Então espalha pra galera!

19 setembro 2011

O Tempo da Travessia Chegou...


"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas,
 que já têm a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, 
que nos levam sempre aos mesmos lugares. 
É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, 
teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos."
[Fernando Pessoa]

A pergunta é: Quem deve nos mostrar que está na hora de "abandonarmos as roupas usadas" e "fazermos a travessia"? Quem deve nos dizer que tempo é esse? Seria nós mesmos ou seriam os outros?
{pausa para pensar...rs}
Não resta dúvida: somente nós mesmos temos a capacidade de reconhecer o "nosso tempo certo".  Logo, cabe a cada um dizer a si próprio quando iniciar "o tempo da travessia". [Entretanto, há quem julgue conhecer "o tempo alheio" e queira estipular prazos e "épocas" para a vida dos outros. Um erro ridículo...]
O tempo: tão incerto e, ao mesmo tempo, tão carregado de esperanças. Como não se apegar a ele? Como não querer que ele tudo resolva? 
E quanto a esperança... Quem não a tem? Eu tenho as minhas, você tem as suas... 
Daí, que é sobre esperança e tempo que falaremos agora...


"Nos últimos meses disseram-lhe várias [e várias] vezes que só o tempo seria capaz de ajudá-la a atravessar a tempestade que se abateu sobre sua vida. Disseram-lhe também para ter esperança, pois, com o passar do tempo, as coisas voltariam ao normal(?). 
E, "fã do tempo" como sempre foi, sabia que as pessoas estavam corretas. Percebeu que ele seria seu grande aliado, embora não tivesse muita noção de como essa "aliança" funcionaria... Ou, quanto tempo levaria o tempo para desfazer aquelas nuvens escuras da tempestade... Percebeu também que a esperança de dias melhores seria de grande valia para atravessar momentos tão difíceis. No entanto, as mesmas [ou algumas das] pessoas que lhe falaram isso "ontem", hoje ficam assustadas com a "rapidez" com que ele - o tempo, passou pra ela. [Rapidez?] 
É... pode até ter sido "rápido demais"... Para os outros! Para ela foi uma eternidade. Um período escuro, cheio de desesperanças, que a sufocou, que a devorou como um bicho carnívoro e faminto devora sua presa enquanto ela ainda está viva. [Lembrando que, enquanto agonizava, a pobre e desgraçada presa sentia cada mordida, cada pedaço arrancado, cada parte de si que padecia diante da fera...] 
Assim foram seus dias. Sentiu todas as dores possíveis. Amargurou-se. Achou que aquele momento seria eterno e que a sua vida fosse ficar encoberta pela escuridão por longos e longos anos... Encheu o peito de tristeza e melancolia. Gritou várias vezes na esperança de aplacar um pouco mais a dor.  Depois de muito agonizar, ela agarrou-se ao tempo e ao amor-próprio para sobreviver. Mesmo dilacerada, percebeu que a vida continuava. Sentiu a esperança brotar novamente dentro do seu ser.
Porém, a "platéia" julgou que isso foi muito pouco. Queriam ver mais sangue na arena. Queriam ver mais lágrimas, mais dores, mais desespero. Queriam que as feridas continuassem abertas e  sangrando a cada cutucada do algoz chamado "saudade". Talvez até quisessem que isso durasse pra sempre... É, talvez.
Por isso, decepcionaram-se tanto com sua rápida(?) cura. Entristeceram-se bastante com sua alegria repentina. Abismaram-se com seu renascimento. Acharam um absurdo sua "ousada tentativa" de sair daquele suplício - mesmo com todas as feridas ainda em processo de cicatrização. 
Mas, enquanto todos espantavam-se, ela não perdia tempo: abraçava a vida, colocava um sorriso no rosto e aproveitava cada um de seus dias. Isto é, ela passou a viver uma vida que era somente dela e de mais ninguém."




 "O tempo é o único capital das pessoas que têm como fortuna apenas a sua inteligência". Honoré de Balzac




3 mil pitacos!:

Relatos do Gestar II / Pendências- Rn disse...

É preciso pensar para acertar,calar para resistir e agir para vencer!
Renato Kelb

"Quando a gente acha que sabe todas as respostas, vem a vida e muda todas as perguntas."
Luiz Fernando Veríssimo

Marcos André & Fernanda disse...

As pessoas, externamente, se mostram muito solidárias e compreensivas. Mas, por dentro, ou nas costas do "alvo", mostram toda a sua amargura, a sua mesquinheza... Poucas pessoas (só aquelas que realmente te amam) ficam felizes com os seus avanços, com a cura das suas feridas (que vão deixar cicatrizes eternas). Todas as outras devem ser "filtradas", porque, com certeza, prefeririam estar emprestando o ombro para você chorar que estar te parabenizando por você estar seguindo em frente, VIVENDO a sua vida.
Seja feliz!

Valmidênio Barros disse...

Oi.

Obrigado pelo comentário lá no DeusILUSÃO e, mais ainda, obrigado pela divulgação do novo endereço.

Não Seja Egoísta! Compartilhe!