Gostou? Então espalha pra galera!

16 dezembro 2011

O céu tá tão azul e a brisa tão leve...


Esses dias estive pensando em algo que em outros tempos seria um absurdo imenso: encerrar os escritos nesse já quase abandonado blog. Pois é. Veio isso aqui na minha caixola essa semana. Não seria bem excluir o blog. Seria apenas deixar de escrever aqui. 

Sei lá... Até eu achei estranho esses pensamentos...

O problema é que de uns tempos pra cá comecei a ficar meio sem vontade de escrever (o que é inédito em minha vida) e também sem estímulo pra atualizar o blog de forma constante. Refletindo durante alguns dias comecei a perceber que isso talvez tenha sido causado pelas atuais circunstâncias em que me encontro: um momento completamente diferente do que me fez criar esse blog. É como se ele tivesse perdido o sentido, entendem? 

Talvez eu até criasse outro espaço algum dia pra "vomitar palavras" quando necessário fosse. Mas não queria que fosse aqui. Sei lá... [2]. Tá tudo tão estranho... Mas é um estranho que não necessariamente é  ruim, se é que dá pra entender.

Na verdade, acredito que eu perdi um pouco a identificação com o blog. É como se a "tempestade" tivesse passado, e a calmaria começasse a aparecer. Sinto-me mais plena e muito mais feliz agora. Já não sou mais aquela outra que vivia cheia de inquietações, dúvidas, receios, desconfianças e o pior: com a autoestima quase sempre lá em baixo. Os tempos são outros agora. Não vejo sinais de tempestades...

E como "tudo muda o tempo todo no mundo", pode ser que eu resolva parar mesmo. Pode ser que eu resolva transformar o Tempestade de Ideias numa "pasta de arquivo" de importantes momentos da minha vida. E nada além disso.

Entretanto, ainda não tenho uma decisão concreta em minhas mãos. Até agora são só pensamentos... Como faço parte do estilo "metamorfose ambulante", pode até ser que amanhã (ou depois, ou depois, ou ano que vem...) eu resolva continuar com isso aqui. Sei lá... [3]



É só isso. Bye.



6 mil pitacos!:

Pensamentos soltos disse...

Que bom que você está Feliz e sem tempestades para desabafar... rs rs rs

Mas se você parar com o blog,
pode ter certeza que servio de inspiração de criação para outros blogs ( o meu por exemplo).
E que adorava o jeito claro que vc falava das coisas;
Parabéns Beth, seu Blog sempre será uma boa referencia.

Beijoo e tudo de bom

Valmidênio Barros disse...

Talvez você apenas não queira mais compartilhar com tanta frequência as suas emoções, sentimentos, raivas e dúvidas... Se o problema for esse, basta escrever sobre outras coisas: suas teorias sobre os relacionamentos amorosos, sua maneira de perceber as interações entre as pessoas, seu modo de enxergar as coisas mais simples da vida.

Mas se realmente não estiver mais sentindo prazer em escrever, então o melhor é parar mesmo, porque escrever envolve muito esforço -- "Um texto escrito sem esforço é lido sem prazer". E se você não tiver mais prazer em produzir seus textos, as pessoas que te leem vão perceber isso, e vão se sentir traídas.

@yram_esor78 disse...

Te entendo plenamente.É como se um ciclo tivesse encerrado e de repente um outro ciclo precisa ser iniciado, vivenciado.Mas tudo aqui envolveu tanto esforço...deixa de escrever não.Muitos dias ainda na sua vida ele te servirá de reflexão, de entendimento para situações vindouras.Já perdi as contas das vezes q passei por algo muito parecido aqui, principalmente no que se dizia respeito a imaturidade de outrem, mas foi bom ler-te e saber q era um comportamento mais comum do que eu pensava.Como sabes, tenho um filho e passei por muitas tempestades, muitas vezes me senti discriminada por isso.A pessoa tinha muitas dúvidas mesmo sabendo que era eu...nossa história não teve um final feliz, mas ler os livros daquela instante, as trocas, traições constantes foi bom para que eu pudesse perdoar o que aconteceu.Hoje, já faz um certo tempo q as direções foram seguidas para caminho diferentes, mas superado por mim, pois numa dessas "indecisões" apareceu uma criança com uma menina mais jovem q eu...e não foi por isso q deixei, mas pq apostei que uma família poderia nascer dali e que as crianças não tem culpa das bobagens inconsequentes de seus pais.Vc não só estámais feliz, mas com certeza está também com bem mais conhecimentos, pois mesmo sem conhecer de perto, nada como um amor construído na confiança, num amor "maduro" (não pela idade de ambos), um amor com suporte.Abraço Beth Amorim e não nos deixe assim...
Ufa!Tremendo desabafo.

@yram_esor78 disse...

No comentário acima, por favor leia-se estantes e não instantes, que é um tópico das postagens de Beth.

Non Nattus Júnior disse...

Olá Beth!
Imaginar não encontrar novos textos ,me deixou triste por um momento...Mas se a sua ausência for sinônimo da plena felicidade na sua vida,irei entender...Ficarei feliz, por outro lado.
Como vc disse : " atuais circunstância que me encontro..." A felicidade é um estado de espírito que nos contagia,mesmo que para isso sejamos privado de seus textos maravilhosos! Eles sempre refetiram uma vida que sempre estava nos ensinando a sobreviver diante das tempestades...
Sempre serei grato ao " Tempestades de Ideia" pois , através dele tive esta felicidade de cativar esta amizade virtual. Desejo toda felicidade que alguém possa usufruir nesta vida...
Um abraço e espero encontrá-la em outros espaços (Caso ,claro se o transformar em um arquivo ...)

patricia moura disse...

descupe minha franquesa bethi... mais e porque nos outros meses anteriores vc estava muito triste e precisando desabafarentao um dos seus companheiros alem de amigos era esse blog onde vc escrevia toda sua dor e angustia pois sofreu uma perda muito cedo . e agora graças a deus vc soube superar esta feliz e nao tem motivos para desabafar a nao ser suas legrias .que bom que esta feliz vc e muito nova para se guardar do mundo te desejo muita sorte nesse novo relacionamento. bjs (patricia)

Não Seja Egoísta! Compartilhe!